sábado, novembro 19



Deixei-te entrar dentro da minha vida, viste a porta do meu coração aberta e entraste sem aviso prévio, e ao entrares, trancaste-a. Fiquei a olhar para ti, como quem esperava o que farias a seguir, e permaneci quieta. Viraste-te e deixaste que os teus olhos procurassem os meus, até se encontrarem. Foi assim durante uns segundos, prendidos no nosso próprio olhar, sem desviarmos. E quem sabe, um dia esteja prometido para fazer-te feliz, que talvez era o destino sentir-me vazia por tanto tempo, e ser recompensada por esse dia prometido que me fizesse sorrir. Que talvez não é o meu dever de entender as coisas, mas sim esperar, esperar sem estar á espera, sem lembrar-me que estou á espera de alguém a vir. E talvez um dia perceba que o amor é algo que não se explica, mas é aceitar a partida de quem amas e aceitar a sua chegada por mais mal que te fez, é saberes esperar e no fim aprenderes que talvez até valeu a pena e que fora para o teu bem, mesmo que não vejas nenhum bem debaixo de todas as máscaras, estará sempre lá. Que em todos os olhos que tentam prender-te, prendem-se no teu vazio, porque em nenhum deles verás os olhos '' dele ''.

5 comentários:

Marta Sofia disse...

Que lindo :)

Francisca Cid disse...

Olá! se recebeste esta mensagem é porque foste um doce seguidor do blogue "Vou Contar-te Um Segredo", agora foi eliminado, mas agradecia que entrasses no novo blogue que está no perfil para leres uma carta importante. Obrigada e muitos beijinhos.

sophie disse...

gostei :)

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Adriana disse...

adorei o blog :) continua assim* tive afastada do meu blog algum tempo, mas voltei C;